Sobre o que você quer saber?







terça-feira, 22 de julho de 2014

Encontro do Grupo de apoio a familiares de pessoas com Alzheimer é destaque no portal Barrazine

Na próxima quinta-feira, dia 24 de julho, acontecerá o próximo encontro do Grupo de Apoio a Familiares de Pessoas com #Alzheimer do Hospital Rios D'Or.

O evento é #gratuito e visa discutir temas que abordam técnicas e ampliam o conhecimento de familiares e #cuidadores que convivem com o paciente. O tema deste encontro é “Cuidados com a deglutição de pessoas com Alzheimer”.

O portal Barrazine fez uma reportagem muito interessante sobre o tema, abordando as dificuldades na al
imentação dos portadores do Alzheimer.

Para acessá-la, basta clicar no link: http://scup.it/628r

#rededor #HospitalRiosDOr

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Você sabe o que é a embolia pulmonar, complicação que causou a morte do escritor João Ubaldo Ribeiro?



Morreu nesta madrugada, no bairro do Leblon, o escritor baiano João Ubaldo Ribeiro. Membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) há 20 anos, o baiano foi vítima de embolia pulmonar. 

A embolia pulmonar é causada quando um coágulo se desprende de algum vaso sanguíneo e obstrui a artéria pulmonar. Normalmente, esse coágulo (também conhecido como trombo ou êmbolo) se solta de vasos dos membros inferiores.


A gravidade da TEP, sigla de tromboembolia pulmonar, varia de acordo com o tamanho do coágulo. Segundo a Dra. Andrea Sette, pneumologista do Hospital e Maternidade São Luiz, localizado em São Paulo, “há casos menos graves em que não há repercussão hemodinâmica, ou seja, na circulação sanguínea. Porém, os casos mais graves de TEP, com formação de trombos muito grandes, podem causar parada cardíaca e levar a pessoa a óbito antes mesmo que ela chegue ao hospital”.


Os sintomas mais frequentes da embolia pulmonar são:


- Dor torácica: é uma dor no peito, mas diferente da dor do infarto. “O paciente sente dor quando respira, como se houvesse uma fisgada no pulmão”, esclarece a especialista.


- Falta de ar: dependendo da extensão da TEP, o indivíduo sente muita falta de ar.


- Mal-estar: o paciente pode ter um mal-estar muito grande, com queda de pressão abrupta.


- Taquicardia – na maioria dos casos, o coração dispara subitamente. “No caso de um coágulo muito extenso, há uma sobrecarga do ventrículo direito, que vai à falência, causando a parada cardíaca. Por este motivo, ocorre o óbito”, afirma a pneumologista.


Dra. Andrea Sette explica que um indivíduo com este quadro deve ser levado imediatamente para o hospital. “O paciente que chega com estes sintomas deve ficar internado em terapia intensiva (UTI). Em geral, o tratamento é feito com anticoagulantes.”


Doenças que aumentam a viscosidade do sangue são fatores de risco para a embolia pulmonar. Fumantes, pacientes de câncer, mulheres que tomam anticoncepcionais, pessoas com mobilidade reduzida nas pernas ou que sofreram grandes traumas, fraturas ou que ficaram acamadas têm maiores chances de desenvolver TEP. Voos prolongados, que dificultam a mobilidade, também podem levar à trombose.


“Quanto mais fatores associados, maior a possibilidade de a pessoa sofrer uma embolia. Uma mulher, por exemplo, que usa anticoncepcional, fuma e pega um voo longo têm maior probabilidade de desenvolver tromboembolismo”, conclui Dra. Andrea.



#rededor #HospitalSaoLuiz #embolia #pulmonar #emboliapulmonar #TEP

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Hospital Rios D'Or arrecada 231 itens na Campanha do Agasalho

A Campanha do Agasalho promovida pelo Hospital Rios D’Or foi um sucesso. Colaboradores e pacientes doaram 231 itens, entre peças de vestuário, roupas de cama e cobertores.

A doação foi feita na última terça-feira, dia 15, para o Instituto de Missão Integral Sinal Verde, que atende a 16 crianças. A entidade dá reforço escolar, estimula a prática esportiva, fornece ajuda psicológica e dá suporte às famílias dos pequenos. ​

A instituição é mantida por doações e os atendimentos são realizados por voluntários. No momento, apenas as professoras recebem salário.

O Instituto de Missão Integral Sinal Verde fica na Comunidade Tirol e foi fundado pelo Dr. Eduardo Nogueira, anestesista do Hospital Rios D’Or. ​

Se você também quer ser um doador, entre em contato pelo telefone (21) 3432-3566 ou pelo e-mail: sinalverde.ong@gmail.com

Para saber mais sobre a instituição, acesse: http://www.ongsinalverde.com.br


#rededor #HospitalRiosDOr#CampanhadoAgasalho #doacao



terça-feira, 15 de julho de 2014

Cuidado com as lesões ao praticar exercícios físicos



Dizer que praticar esportes faz bem à saúde é “chover no molhado”, como diz o ditado. Entretanto, é preciso estar atento às lesões que os exercícios físicos podem causar.

Uma das partes mais afetadas do corpo é o joelho, articulação que suporta o peso do corpo. “Ele é articulado por três ossos (fêmur, tíbia e patela), estabilizado primariamente por ligamentos e secundariamente pela musculatura flexora e extensora. Entre o fêmur e a tíbia existem duas estruturas fibrocartilaginosas, uma interna e outra externa, que funcionam como amortecedores, chamadas de meniscos”, explica Dr. André Luiz Campos Pessôa, ortopedista do Hospital Caxias D’Or.

O especialista afirma que no Brasil, as lesões de joelho ocorrem principalmente em decorrência do futebol, uma vez que este é o esporte mais praticado no país e, muitas vezes, em condições de piso e calçado inadequados.

Dr. André faz ainda uma associação entre o aumento das lesões e o crescimento do número de corridas de rua. “Cada vez mais vemos uma “explosão” de eventos relacionados com corridas ao ar livre, também expondo o joelho à sobrecarga.”

As principais lesões estão relacionadas a traumas direto (contusão) e indireto (torções), que levam às lesões dos ligamentos e dos meniscos. Mas exercícios de repetição e alto impacto podem levar a tendinites e sobrecarga das cartilagens.

Para quem pratica exercícios como hobby, procurar aconselhamento médico para identificar eventuais problemas cardiovasculares e verificar a capacidade aeróbica é sempre o primeiro passo para evitar problemas futuros.

“Deve-se analisar também se existe alguma condição pré-existente no joelho, alguma anormalidade na pisada, encurtamento de cadeias musculares (alongamento muscular inadequado) e sobrepeso”, orienta Dr. André Luiz.

“A avaliação de um profissional de Educação Física é desejável para um bom planejamento e acompanhamento físico. A orientação nutricional também é recomendada”, conclui.




#rededor #HospitalCaxiasDOr #lesao #joelho #saude #exercicios

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Colaboradores da Rede D'Or doam roupas para pessoas atendidas pela Cruzada do Menor

Colaboradores da sede corporativa da Rede D'Or São Luiz e do Hospital Copa D'Or doaram cerca de 80 peças de roupa na “Campanha do Agasalho” de 2014.

As vestimentas irão beneficiar famílias de crianças e outras pessoas atendidas pela Cruzada do Menor. A instituição realiza projetos sociopedagógicos e presta atendimentos a crianças, jovens, adultos, idosos e as famílias dos atendidos com oficinas de capacitação para geração de renda, palestras e seminários.

Ontem, quinta-feira, integrantes do marketing da Rede D’Or visitaram a unidade “Plantando o Amanhã”, em Del Castilho, para realizar a entrega das peças e concluir a ação. Neste núcleo, a Cruzada do Menor acolhe crianças e jovens, que são tratados com carinho e cuidado pela equipe que lá trabalha.

De 2003 a 2012, a Cruzada do Menor beneficiou mais de 11 mil pessoas. Só em 2013, mais de 800 crianças foram atendidas.

Além da unidade de Del Castilho, a instituição atua em Corrêas/Petrópolis, Pedra de Guaratiba, Jacarepaguá, Búzios e São José do Vale do Rio Preto.

Faça como os colaboradores da Rede D’Or e ajude também! A Cruzada do Menor está precisando de leite e materiais de limpeza e higiene.

Para doar, ligue para: (21) 2233-6809 / 2233-2242 e 2233-2197. Você também pode entrar em contato pelo e-mail: marketing@cruzadadomenor.org.br


Mais informações sobre a instituição estão em: http://www.cruzadadomenor.org.br/


#rededor #CruzadadoMenor #CampanhadoAgasalho #doacao 



quinta-feira, 10 de julho de 2014

No inverno, sua pele exige mais atenção. Saiba o porquê e como tratá-la.



As baixas temperaturas do inverno costumam desencadear o surgimento ou agravamento de várias doenças, inclusive dermatológicas.  Entre as mais recorrentes, estão a dermatite atópica, a dermatite seborréica, a psoríase e a ictiose.

Dra. Cláudia Alcântara Gomes, dermatologista do Hospital Barra D’Or, afirma que este fato ocorre porque “durante essa época do ano há comprometimento da oleosidade natural da pele, conferida pelo seu manto lipídico, fundamental para manter a hidratação e protegê-la contra agressões físicas, químicas e biológicas. Além disso, como fatores agravantes e inerentes ao inverno, há a diminuição da sudorese e da ativação das células que produzem esse manto hidro lipídico”.
Soma-se a estas alterações, o fato de que durante esse período, as pessoas tendem a tomar banhos mais quentes e demorados, que tornam a pele mais seca e vulnerável.  
Para reduzir os danos característicos da estação, Dra. Cláudia deu algumas recomendações de cuidados com a pele. Confira:
- evite banhos quentes e prolongados;
- evite também o uso abusivo de sabonetes e opte por tipos neutros ou hidratantes;
- ingira líquidos adequadamente;
- não se esqueça de que o uso do filtro solar continua sendo indicado;
- aplique cremes hidratantes duas vezes ao dia.

Em relação a esta última dica, a dermatologista afirma que uma grande variedade de cremes hidratantes podem ser utilizados, a maior parte composta de ureia, óleo de amêndoas doces, óleo de semente de uva, lactato de sódio, ácido hialurônico, ácido glicólico, entre outros.
Lábios também precisam de cuidados

Assim como as outras regiões do corpo, os lábios sofrem com o ressecamento e devem ser adequadamente hidratados.
“O uso de hidratantes labiais deve ser empregado sempre que necessário e, sobretudo, em pacientes com herpes labial, cuja ativação pode ser desencadeada por diversos fatores, entre eles as rachaduras decorrentes das baixas temperaturas”, conclui Dra. Cláudia. 


#rededor #BarraDOr #pele #cuidados #inverno

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Você sabe quais são os tipos de diabetes?



Hoje é o Dia Nacional do Diabetes, síndrome metabólica que afeta cerca de 6,9% da população adulta no Brasil*.

O diabetes caracteriza-se pela falta de insulina ou pela incapacidade deste hormônio produzido no pâncreas de exercer adequadamente suas funções. Estes “desvios” culminam na hiperglicemia, o excesso de açúcar no sangue.

Antigamente conhecido como diabetes juvenil, o diabetes tipo 1 costuma atingir crianças e jovens, que se tornam insulinodependentes para o resto da vida. De acordo com o Dr. Izidoro Flumignan, endocrinologista do Hospital Quinta D’Or, “ele já vem escrito na genética. Seus sintomas são muito evidentes, pois há emagrecimento, muita sede, fome e vontade constante de urinar. E ainda não há como preveni-lo.”

“A causa principal causa do diabetes tipo 2 é a obesidade, associada à pré-disposição genética para a síndrome. Portanto, para evitar este tipo de diabetes é muito importante prevenir a obesidade. Diferentemente do tipo 1, o tipo 2 não costuma ter sintomas e o diagnóstico é pela dosagem da glicose no exame de sangue”, explica Flumignan.

Além do tipo 1 e tipo 2, há também o diabetes gestacional, que pode trazer complicações para a gravidez. “É comum que a mulher que teve diabetes gestacional adquira diabetes tipo 2 no futuro”, afirma Dr. Izidoro.

Caso a pessoa tenha qualquer alteração dos níveis de glicose, o especialista recomenda que ela procure um médico para confirmar ou negar o diagnóstico. Se confirmada a suspeita, há diversos tipos de tratamento, que dependem do tipo e da fase evolutiva da síndrome.

Dr. Izidoro alerta que “considerando que 90% dos diabéticos brasileiros são do tipo 2, e destes, 80% são obesos, é fundamental emagrecer e praticar exercícios com acompanhamento médico.”


#rededor #QuintaDOr #diabetes #glicose

Fonte: * Pesquisa Vigitel 2013 do Ministério da Saúde

segunda-feira, 16 de junho de 2014

No campo ou na arquibancada, adrenalina é o hormônio da Copa do Mundo




Amanhã o Brasil enfrenta o México, seu segundo adversário na Copa do Mundo. Também é dia de muita adrenalina no organismo dos apaixonados pelo futebol.

“Este é o hormônio da explosão, do medo, do susto e também da alegria súbita e rápida. Faz, entre outras coisas, o coração acelerar, as pupilas dilatarem e a pressão arterial e a glicemia subirem”, afirma o Dr. Izidoro Flumignan, endocrinologista do Hospital Quinta D’Or.

“Esta sobrecarga emocional ativa os neuro hormônios excitatórios e faz com que a performance do corpo atinja níveis máximos com o objetivo de atender ao desejo que, no caso, é vencer a partida”, explica.

O especialista afirma que jogadores experientes e aparentemente calmos estão, na verdade, com os sistemas hormonais nos níveis máximos, o que pode resultar até em convulsão cerebral, como ocorreu com um famoso jogador brasileiro.

Por mais estranho que possa soar, jogadores e torcedores vivem situações semelhantes. Se por um lado os jogadores estão "comprometidos" com o desfecho de cada jogo, cada torcedor está "envolvido" com o resultado do time do coração.

Tanto é que os torcedores  mais frágeis, com doenças prévias já instaladas, podem apresentar riscos aumentados para sofrer de infarto do miocárdio ou do cérebro devido ao aumento súbito da pressão arterial ocasionado pelo excesso de adrenalina.

Dr. Izidoro revela que os hormônios reagem diferentemente para cada emoção. A alegria de um gol de pênalti que confirma uma vitória provoca liberação de adrenalina na corrente sanguínea dos aficionados pelo esporte.

“Por outro lado, uma derrota causada pelo mesmo pênalti leva o organismo a liberar cortisol. Este hormônio pode ter seus níveis aumentados nos casos de tristeza e depressão, como uma derrota irrecuperável”, conclui.


#rededor #QuintaDOr #adrenalina #vaiBrasil